Ex-inimigo de Tasso e ex-aliado do PT, Pessoa ataca Ciro Gomes

PUBLICIDADE
17 jun 2014

Pré-candidato destacou feitos na gestão municipal de Maracanaú. (Foto: Evilázio Bezerra)

O ex-prefeito de Maracanaú e pré-candidato pelo PR ao Governo do Estado, Roberto Pessoa, faz questão de se destacar como o candidato apoiado pelo ex-senador Tasso Jereissati (PSDB) – de quem já foi opositor – e pelo ex-governador Lúcio Alcântara (PR).

Pessoa foi o convidado de ontem do programa Debates do Povo, da rádio O POVO/CBN. Hoje é a vez de Nicole Barbosa, pré-candidata a governadora pelo PSB. O ex-prefeito reforçou o desafeto político com Ciro Gomes e disse que o governo do PT – do qual já foi aliado histórico – é “um dos mais corruptos da história do Brasil”. O pré-candidato foi questionado sobre a mudança de postura na relação com Tasso Jereissati. Para Pessoa, o fato de ambos terem perdido eleição para o grupo do governador Cid Gomes (Pros) os colocou do mesmo lado opositor. “Se tem uma pessoa coerente na politica sou eu, modéstia a parte, eu obedeço ao povo. A democracia diz o seguinte: quem ganha, governa, perdeu o governo, vira oposição”, ressaltou. Em 2006, Lúcio Alcântara, hoje presidente do PR, perdeu a reeleição para Cid. Já o PSDB foi derrotado com Marcos Cals na disputa pelo governo em 2010. Fator Aécio Ex-aliado histórico do PT, Roberto Pessoa se esquivou de comentar sobre ter oferecido palanque para o tucano Aécio Neves no Ceará. Ele afirmou que ainda não há definições sobre a candidatura e pontuou ter sido procurado, tanto pelo PSDB como pelo PMDB, do senador Eunício Oliveira, partido que faz parte da base aliada de Dilma Rousseff. 

 Sobre os desentendimentos com o PT, Pessoa disse que o partido “começou a roubar demais”. “O governo é um dos mais corruptos da história do País”, frisou.

Ciro Gomes Desafeto público do secretário estadual da Saúde Ciro Gomes, Roberto Pessoa disse que não retirava os adjetivos de “desocupado”, “vagabundo”, “mentiroso” e “pescoção” que proferiu contra Ciro em 2012. 

 “Não fui processado, mantenho todos, colocarias mais alguns”, disse o ex-prefeito, chamando o ex-ministro de “ladrão” e “corrupto”. Questionado se poderia provar o que dizia, Pessoa disse estar reproduzindo reportagem feita pela revista Veja sobre desvio de verbas.

Procurado pelo O POVO, Ciro disse, através da assessoria, que não comentaria o assunto e que pediu uma cópia do programa.

Comentários