8 mil cearenses têm até dia 13 para revisar auxílio-doença e aposentadoria por invalidez

8 mil cearenses têm até dia 13 para revisar auxílio-doença e aposentadoria por invalidez

PUBLICIDADE
8 ago 2018

Mais de oito mil pessoas que recebem o auxílio-doença e aposentados por invalidez no Ceará têm até a próxima segunda-feira (13), para agendarem as perícias médicas de revisão dos benefícios. Os beneficiários que receberam carta de convocação em casa ou foram citados no Diário Oficial da União devem agendar a perícia pelo telefone 135.

 

Mais de oito mil cearenses devem realizar perícias no INSS. (Foto: Marina Fontenele/G1)

 

Veja lista dos beneficiários convocados para perícia

 

De acordo com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), foram convocados para revisão somente aqueles que recebem o benefício há mais de dois anos. Ao receber a carta de convocação, o beneficiário tem cinco dias para agendar sua perícia.

 

O órgão alertou que, se a perícia não for feita, o benefício pode ser suspenso até que a situação seja regularizada. A reativação do benefício deverá ser realizada presencialmente em uma das unidades de atendimento do INSS.

 

As pessoas que não foram localizadas pelo INSS foram citadas no Diário Oficial da União. Também estão na lista aqueles segurados que não agendaram a perícia no prazo determinado. Em todo Ceará, foram convocados 8.389 beneficiários.

 

“O Ministério do Desenvolvimento Social tem uma grande preocupação de não causar qualquer injustiça em relação aos benefícios, sejam de aposentadoria por invalidez, ou por auxílio-doença. A intenção do edital é alertar as pessoas para que elas marquem a perícia e compareçam na data marcada”, disse o ministro Beltrame.

 

Documentação

 

No dia da perícia o beneficiário deverá apresentar os atestados e exames médicos referentes ao benefício. As pessoas também precisaram levar a sua documentação pessoal para a sede do INSS.

 

O resultado da perícia será divulgado no dia seguinte ao teste e poderá ser consultado pelo telefone 135 ou no site do INSS.

 

Fonte: G1 Ceará

Comentários