A Copa da vergonha ou a vergonha da Copa?

PUBLICIDADE
2 jul 2014

Nunca uma Copa do Mundo foi tão rejeitada como essa. Aquilo que poderia ser a Copa das copas, como disse certa vez, a presidenta Dilma, poderá sim, ser transformada num fiasco, numa por falta de público, pois, a maioria é mal informada e estará lá, batendo palmas e fazendo coro às vozes dos alienados. Muitos ficarão também  diante da TV, torcendo por uma seleção milionária e surreal, conduzida pelos ávidos do poder futebolístico.

Não sou contra a Copa, mas creio que chegamos a tal ponto que não vale a pena comemorar nada nesse Brasil, nem mesmo um possível êxito da Canarinha no Certame. Para os esclarecidos, festejar esse tipo de coisa seria uma tremenda hipocrisia. Não, há espaço para comemoração e sim, por mudanças.  Mas, aos poucos, esse País, que antes, poderíamos chamá-lo de nosso, vem caindo no descrédito, especialmente da população.

Quem diria, logo no País do futebol, uma copa do mundo não é bem-vinda. Muito se esperou por isso, mas desgastaram tanto a imagem desse País, que a Copa do Mundo acabou sendo também alvo de protesto. A sua realização se juntou a outras datas que motivam movimentos em defesa de melhorias, como o Dia do Trabalhador, do Funcionalismo Público, do Professor e tantos outros.

Por falar em professor, ecoa por todo o País, diversas manifestações por conta dos baixos salários pagos aos profissionais do ensino. Um desses protestos coincidiu com a chegada da “seleção” à Teresópolis no Rio de Janeiro. Foi o maior fuzuê, os grevistas interceptaram o ônibus que conduzia os jogadores, que mais tarde, conseguiram seguir adiante, amedrontados com tanta vaia e ainda por cima, fixam no veículo, adesivos de protestos.

Não, desta vez, não queremos Copa. Queremos sim, desenvolvimento e progresso para um País cansado de tantos desmandos administrativos. Já que não há como boicotar esse evento da vergonha, pelo menos uma sugestão: Vocês que são esclarecidos e tem capacidade de se indignar com tudo isso, desliguem a TV durante os jogos, que com certeza, terá algo muito mais importante a fazer. Que tal?

Comentários