Adeus, Ronaldinho: após dois anos e dois meses, craque está fora do Galo

PUBLICIDADE
29 jul 2014
Ronaldinho levou o Atlético-MG ao título mais importante da história: a Libertadores (Foto: AP)

Ronaldinho levou o Atlético-MG ao título mais importante da história: a Libertadores (Foto: AP)

Vinte e oito de julho de 2014. Será sempre a data lembrada pelo torcedor do Atlético-MG como aquela em que Ronaldinho Gaúcho, um dos maiores ídolos da história do clube, encerrou seu ciclo vitorioso no alvinegro. Após uma reunião entre a diretoria e o irmão e empresário do jogador, Roberto Assis, na manhã desta segunda-feira, ficou definida a rescisão amigável do contrato, que deveria durar até o fim da temporada. O desejo partiu do próprio meia, que concederá entrevista coletiva na próxima quarta-feira, quando anunciará o seu futuro. Pendurar as chuteiras está fora de cogitação, segundo Assis.

 
– Ele joga até os 42. O futuro vamos revelar para vocês na quarta-feira – brincou o empresário, em conversa rápida nesta segunda.

 

Participando do programa Arena Sportv, o técnico Levir Culpi foi perguntado se contava com R10 para o restante da temporada e mostrou que já sabia do futuro do meia.

 
– Não. Não conto mais com Ronaldinho. A notícia que eu recebi é que ele já teria assinado a rescisão de contrato. Esta é a noticia oficial que eu recebi. Então terminou o ciclo do Ronaldinho conosco, infelizmente. Porque ele é um ídolo de todos nós. Todo mundo gosta do seu futebol, da maneira como ele joga, ele é muito carismático. Mas é assim que funciona, ele está saindo e a gente vai seguir sem ele – afirmou Levir.

 
O último jogo de Ronaldinho Gaúcho foi diante do Lanús-ARG, pelo segundo jogo da Recopa Sul-Americana, quando o Atlético-MG conquistou o título inédito da competição. Depois, foi liberado para participar do jogo de despedida do meia luso-brasileiro Deco, em Portugal, que ocorreu na última quinta-feira. O meia disse ter perdido o voo e permaneceu no Brasil. Por causa da viagem, R10 havia sido liberado do jogo do Atlético-MG contra o Sport e dos treinos até a próxima terça-feira.

 

 

Porém, por não ter viajado, a diretoria atleticana e o técnico Levir Culpi esperavam que o jogador voltasse aos treinos na sexta-feira, o que não aconteceu. A situação estremeceu a relação, que já não estava boa por causa do baixo rendimento do meia com a camisa alvinegra em 2014.

 
Mas a situação não deverá manchar a imagem deixada por Ronaldinho diante da torcida atleticana. Em 88 jogos, com 28 gols, ele contribuiu para que o Atlético-MG elevasse seu status no cenário internacional, conquistando a Libertadores de 2013 e a Recopa Sul-Americana nesta temporada, títulos inéditos na história do clube. Além disso, o jogador conquistou o Campeonato Mineiro do ano passado e foi vice-campeão Brasileiro em 2012.

 
O certo é que Ronaldinho deixará saudades na torcida atleticana, que depositou as esperanças no jogador de dias melhores pelo clube e teve como recompensa títulos, gols e momentos felizes durante os dois anos, um mês e 24 dias que o atleta permaneceu no Galo.

 

Globo Esporte.com

Comentários