Agentes penitenciários recebem armas com defeito para atuar em presídios

PUBLICIDADE
19 maio 2016

Um vídeo gravado por um agente penitenciário dentro de uma unidade prisional no Ceará mostra que as armas concedidas pelo Governo do Estado a esses profissionais não funcionam. Em virtude da situação, o agente penitenciário, que preferiu não se identificar, resolveu gravar um vídeo para denunciar o caso e divulgar nas redes sociais nesta semana.

 

Ao todo, 72 armas foram doadas pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social para a Secretaria de Justiça do Ceará para serem distribuídas aos agentes prisionais.

 

Nas imagens, é possível observar que o agente está em um pátio da unidade prisional e de posse de uma pistola que foi concedida pelo Governo. Ele destrava a pistola e aperta o gatilho, mas a arma não dispara. A cena se repete diversas vezes ao longo do vídeo.

 

Presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Valdemiro Barbosa (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro / SBT)

Presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Valdemiro Barbosa (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro / SBT)

Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes Prisionais (Sindasp-CE), Valdemiro Barbosa, o defeito nas armas torna o agente penitenciário uma vítima do seu próprio trabalho. “São armas que os policiais tinham reprovado na secretaria e a coordenadoria do sistema penal, através de convênios, adquiriu essas armas para o sistema penitenciário. Ao invés de ajudar, veio como um fator complicador ainda maior. O profissional fica ainda mais exposto e fica mais uma vez a revolta da categoria. Porque nós queremos prestar o serviço; mas, infelizmente, o Estado não está nos dando condição”, relatou o presidente.

 

Ainda conforme o representante do sindicato, os problemas registrados pela categoria já foram encaminhados aos órgãos competentes, mas nenhuma melhoria foi efetuada. “Nós encaminhamos todas essas demandas para a Secretaria de Justiça, para o Governo, mas até o momento nada de positivo veio de lá para cá. Não temos tido os avanços que a categoria merece. Por conta disso, nós já declaramos greve. A partir de 0h do próximo sábado (21), caso nossas solicitações não sejam atendidas, vamos parar”.

 

O Tribuna do Ceará entrou em contato com a Secretaria de Justiça do Estado do Ceará, a fim de averiguar quais medidas devem ser tomadas, mas até a publicação desta matéria não obteve retorno.

 

Fonte: TRIBUNA DO CEARÁ

Comentários