Agricultor é assassinado pelo seu própio primo em Potengi em virtude da briga por terras

PUBLICIDADE
16 jan 2016
O corpo da vítima foi trazido para ser necropsiado no IML de Juazeiro do Norte. (Foto: Agência Miséria)

O corpo da vítima foi trazido para ser necropsiado no IML de Juazeiro do Norte. (Foto: Agência Miséria)

Quase um ano depois, um novo homicídio foi registrado no município de Potengi. Por volta das 14h30min desta sexta-feira, o agricultor José Cidade da Mata, de 64 anos, que residia no Sítio Sassaré, foi morto a golpes de faca. O acusado do crime é o seu próprio primo e, segundo populares, foi motivado por desavenças em função da posse de terras ante o acirramento do conflito.

 

O assassinato aconteceu no Sítio Água Branca que fica situado a uma distância média de 10 Km para o centro de Potengi, onde mora o autor das facadas. José Cidade teve morte imediata sem tempo para socorro médico. A polícia foi avisada e diligenciou sem o êxito de localizar o acusado, enquanto o corpo da vítima era trazido para ser necropsiado no IML (Instituto Médico Legal) de Juazeiro do Norte.

 

Um único homicídio foi registrado no ano passado em Potengi. No dia 31 de janeiro o mecânico Jesus Wilo da Silva, de 49 anos, o “Negão de Aratama” que residia no Distrito de Aratama em Assaré, onde possuía uma oficina foi morto a tiros na Praça da Igreja Matriz. Ele ainda correu, mas tombou agonizando e morreu no hospital de Potengi para onde foi socorrido. A vítima respondia vários processos em comarcas de São Paulo e Assaré e já esteve preso por crime de receptação.

 

Agência Miséria

Comentários