Após repercussão e suspensão de aulas, Secretaria de educação do Ceará promete resolver problema do transporte escolar em Aurora

PUBLICIDADE
6 mar 2015
A responsabilidade quanto ao transporte estudantil da Rede Estadual de Ensino é exclusivamente do Governo do Estado. FOTO: DIVULGAÇÃO/INTERNET

A responsabilidade quanto ao transporte estudantil da Rede Estadual de Ensino é exclusivamente do Governo do Estado. FOTO: DIVULGAÇÃO/INTERNET

 

Os alunos da rede estadual de ensino de Aurora estão fora das salas de aulas desde a última segunda-feira (02). As atividades escolares foram suspensas pelos seus respectivos diretores em virtude da inexistência de transporte escolar para conduzir os alunos até as unidades de ensino.

 

O problema ocorre por conta da não renovação de convênio entre o município de Aurora e o Governo do Estado do Ceará. Segundo o prefeito Adailton Macedo, a não renovação do convênio se deu pelo fato de o município ter gastado quase um milhão de reais para complementar o valor repassado pelo estado para bancar o transporte dos alunos da rede estadual durante o ano passado, transporte este, diga-se de passagem, que é de inteira responsabilidade do ente estadual.

 

Ainda de acordo com o prefeito Adailton Macedo, para contemplar todos os estudantes da rede estadual é necessária a criação de mais de trinta rotas, o que iria impactar assustadoramente nas contas do município.

 

Só após ampla publicidade do fato e depois de o problema ser mostrado pela TV Verdes Mares, afiliada da Rede Globo, na última quarta-feira é que a Secretaria de Educação do estado resolveu se pronunciar. Segundo a própria matéria veiculada pela TV Verdes Mares, o chefe da pasta da educação prometeu que em no máximo uma semana o problema será solucionado.

 

 

OPINIÃO:

É lamentável que tenha sido necessário a grande mídia repercutir o descaso por parte do governo do estado, no tocante ao transporte estudantil da rede estadual de ensino de Aurora para que pelo menos houvesse uma promessa de resolução do problema. Que as promessas sejam cumpridas.

 

Da Redação

Comentários