Assaré: populares invadem Câmara em protesto contra CPI

PUBLICIDADE
11 jul 2016
Sete dos onze vereadores denunciam ter havido contratações irregulares de funcionários para a prestação de serviços, criação de crédito suplementar sem prévia autorização da Câmara, e a relação entre o município de Assaré e a FL Serviços e Locação.

Sete dos onze vereadores denunciam ter havido contratações irregulares de funcionários para a prestação de serviços, criação de crédito suplementar sem prévia autorização da Câmara, e a relação entre o município de Assaré e a FL Serviços e Locação.

Populares invadiram a sede da Câmara Municipal de Assaré, revoltados com a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito proposta pelos vereadores contra a atual administração do prefeito Samuel Freire.

 

Sete dos onze vereadores denunciam ter havido contratações irregulares de funcionários para a prestação de serviços, criação de crédito suplementar sem prévia autorização da Câmara, e a relação entre o município de Assaré e a FL Serviços e Locação.

 

O plenário do legislativo ficou pequeno para o grande número, em sua maioria partidários do prefeito. Com o grito de guerra – vereadores corruptos, essa CPI é golpe, e enquanto isso outro grupo arremessava notas de papel no valor de cem reais, dando entender que a CPI era movida pelo dinheiro. O clima foi ficando tenso, e foi necessário a Polícia Militar intervir para acalmar os ânimos.

 

Já na porta da Câmara alguns manifestantes estavam montados a cavalo, e os gritos de ordem abafavam a voz dos vereadores que tentavam inutilmente convencer o povo que a CPI era um ato constitucional, e sem sucesso chamaram reforço policial dos municípios de Tarrafas, Antonina do Norte e Campos Sales. A reunião era extraordinária, tendo em vista que aquela casa se encontra em recesso.

 

O vereador Raimundo Moacir Mota Junior, autor do pedido de instalação da CPI, afirmou que a atual administração era um desastre total e o fator maior predominante de sua atitude, foi a falta de informação do poder executivo em suas ações para com o poder legislativo, tendo em vista que a prerrogativa do vereador como representante do povo, é justamente ser fiscalizador. “Não temos culpa hoje do prefeito ter minoria na câmara municipal. Ao contrário,lutamos pelo bom senso, pela harmonia” disse.

 

Donte: Ceará Agora / Com informações de Amaury Alencar

Comentários