Aurora comemora 133 anos de emancipação política nesta quinta, 10 de novembro

PUBLICIDADE
10 nov 2016

O município de Aurora, ou a “Terra do Menino Deus” como é conhecida, comemora nesta quinta-feira, 10 de novembro, 133 anos emancipação política.

 

O município de Aurora, ou a “Terra do Menino Deus” como é conhecida. FOTO: REPRODUÇÃO / GOVERNO DO ESTADO

O município de Aurora, ou a “Terra do Menino Deus” como é conhecida. FOTO: REPRODUÇÃO / GOVERNO DO ESTADO

 

O município de Aurora foi desmembrado de Lavras da Mangabeira, segundo consta na história, em 1.889, elevando-se à categoria de Vila, mais tarde vindo a se tornar o município de Aurora.

 

Por conta da intensa crise econômica vivenciada pelo país, o prefeito Adailton Macedo decidiu preservar o pouco recurso existente para honrar compromissos e cumprir todas as determinações da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), invés de investir em shows musicais, por exemplo nesta data magna.

 

Programação festiva preparada pela gestão municipal para esta quinta, 10 de novembro:

 

05:00 h – Alvorada festiva com a Banda de Música Senhor Menino Deus, pelas principais ruas da cidade;
08:00 h – Hasteamento dos pavilhões, no paço municipal;
20:00 h – Retreta com a Banda de Música Senhor Menino Deus, na Pracinha do Menino Deus;
20:30 h – Festival de música juvenil na Praça do Menino Deus

 

Acompanhe abaixo, em detalhes pontos importantes da história de Aurora:

 

Aurora é um município do estado brasileiro do estado do Ceará, a 283 metros acima do nível do mar. Está situado na mesorregião do Sul Cearense, microrregião de Barro, região Político-Administrativo do Cariri.

 

SUBDIVISÃO – O município atualmente é constituído de quatro distritos: Aurora (sede), Ingazeiras, Santa Vitória e Tipi.

 

A Sede do município de Aurora conta atualmente com nove bairros: Centro, Araçá, José Fernandes Campos (Conjunto Habitat – CNEC), José Freire do Amaral (Vila Freire), José Leite de Figueiredo – Zezé da Cruz (Alto da Cruz), Padre Mororó, Recreio, São Benedito (Aurora Velha) e Vila Paulo Gonçalves.

 

 

CLIMA – Tropical quente semi-árido.

 

Gentílico – aurorense

 

 

As principais fontes de água de Aurora fazem parte da bacia do Rio Salgado, tendo como principais afluentes os riachos da Jitirana, Pau Branco, Tipi, dos Cavalos, do Juiz, Olho d’Água, Jenipapeiro e do Jenipapeiro de Cima(já divisa com o município de Missão Velha). Outra fonte de água é Acúde da Cachoeira.

 

ECONOMIA – Sua economia por muito tempo baseiou-se em produtos agrícolas: como algodão, banana, cana-de-açúcar, milho e feijão, além da dinâmica e afluente apicultura.

 

Comércio e Serviços – O Município apresenta um sólido e crescente comércio, onde merece destaque o setor moveleiro que apresenta uma das maiores redes comerciais de toda a região, além disso ao longo da última década, o município vem passando por um processo de grande especulação e valorização imobiliária. Ainda de acordo com informações do IBGE, o município de Aurora conta com um considerável número de empresas registradas, sendo a grande maioria constituída de microempresas. Juntas as citadas empresas mantém um bom número de empregos.

 

O topônimo Aurora vem do Português Aurora e significa Amanhecer. Sua denominação original era Venda, depois Aurora Velha, Aurora Nova e desde 1883 Aurora.

 

Segundo o Censo 2014 o município de Aurora tem uma população de 24.658 habitantes o que representa um acréscimo de 0,37% em relação ao censo de 2010 que mostrava o município do Menino Deus com uma população de aproximadamente 24.566 habitantes, onde cerca de 52% da população à época vivia na zona rural. O município de Aurora é a terra natal de artistas consagrados como Aldemir Martins, Nego Simplício, de jornalistas e radialistas como Adolpho Nascimento e do grande forrozeiro Alcymar Monteiro.

 

Histórico – A história da origem do atual município de Aurora-CE, remonta nos idos de 1812-1817, quando o Pe. Antônio Leite de Oliveira comprou ao Sr. Antônio Lopes de Andrade, a fazenda logradouro. Desde então, o referido padre teve sua fixação em terras da região, e devido ao transito de tanta gente por essa ribeira do médio salgado, procedentes de Jaguaribe e de outras localidades propiciou o surgimento de uma povoação. Essa pequena povoação evolui e adquiriu notoriedade com a construção de um oratório, pelo Pe. Antônio Leite, configurando-se assim um povoado. Foi quando nos meados de 1837, já como proprietário da fazenda logradouro que o Coronel Francisco Xavier de Souza, resolveu edificar uma capela, a pedido de sua esposa a então descendente do Pe. Antônio, à qual denominou Capela do Menino Deus.

 

Segundo fontes tradicionais, o Coronel Xavier mantinha uma mulher como sua concubina, cujo o nome era Aurora. Essa mulher residia num barraco às margens do rio salgado, hoje Aurora Velha, onde servia também de ponto comercial para atender àqueles tropeiros viajantes, e ficou batizado com o nome de Venda, primeiro nome dado ao povoado. O nome de Venda perdurou por muito tempo, em face desse estabelecimento representar por muito tempo, um ponto de apoio para os transeuntes de todos os rincões do sertão cearense. Houve, porém, a oportunidade em que o Coronel Francisco Xavier, detentor de um poder notável, quis implantar o nome Xavierlinda em substituição ao outro, mas não adquiriu expressividade, uma vez que não caiu no gosto popular.

 

À medida que crescia o povoado, a mulher foi adquirindo significativa popularidade, e por motivos óbvios como escreveu o poeta Serra Azul, “Caiu o nome mercantil de Venda e surgiu o nome fúlgido de Aurora”.

Comentários