Câmara Municipal de Aurora realiza penúltima Sessão Ordinária do ano com presença de representantes da Cagece

Câmara Municipal de Aurora realiza penúltima Sessão Ordinária do ano com presença de representantes da Cagece

PUBLICIDADE
20 nov 2017

A penúltima Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Aurora deste ano, realizada no último sábado, dia 18 de novembro, foi marca por muitos debates, especialmente por conta da presença de representantes da Cagece local, onde de há muito, era solicitada o comparecimento de responsáveis do setor para discutirem as problemáticas ora existentes na sede do município por conta do trabalho passivo de críticas exercido por aquela autarquia.

 

A penúltima Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Aurora deste ano, realizada no último sábado, dia 18 de novembro. FOTO: PEDRO GUEDES

 

Como sempre a reunião foi aberta pelo senhor presidente da Casa, vereador Aderlânio Macêdo (PMDB), que de início felicitou a todos pela presença e autorizou a chamada nominal dos vereadores presentes, tendo apenas a ausência justificada da vereadora Maria Iracilda (PT do B).

 

Na fala dos vereadores, o mais contundente com relação a presença dos representantes da Cagece, foi o vereador Osasco Gonçalves (Livres), que segundo ele, foi uma grande esperteza da Cagece mandar representantes à Câmara, assim como de surpresa, sem que a comunidade pudesse ter sido avisada para dirimir dúvidas e evidentemente, debater com os vereadores e membros da empresa, os assuntos mais pertinentes relacionados aos reclames dos usuários, tais como: taxa de esgoto, saneamento básico, bombeamento, qualidade da água, canos estourados e encanações.

 

Tanto é que, há vários dias foi enviado ofício destinado à Gerência Regional, encabeçado pelo vereador presidente da Casa, Aderlânio Macêdo (PMDB), corroborado pelos demais vereadores. No ofício, a Câmara solicitava a presença do Dr. Galba, responsável pelo setor a nível regional, mas esse não se manifestou conforme o solicitado, e ainda por cima mandou apenas representantes de última hora para tratar do caso, como sendo os supervisores, Rivelino Teles e Cícera Crispim.

 

Para acabar de completar a situação embaraçosa e constrangedora, apareceu de última hora, o Emídio Clebson, sem ser convidado, que adentrou à sessão querendo dar explicações sobre um caso que envolvia um usuário de nome “Seu Miguelzinho” morador da Aurora Velha, que segundo ele, teria sido maltratado por um funcionário da Cagece local, no caso, o Clebson e foi lá prestar queixa aos vereadores, acrescentando que quando foi tratar de uma solução para problemas de tarifa alterada de água, o mandaram procurar o papa.

 

Ao passo que Emídio Clebson se defendia afirmando que o usuário era quem teria chegado alterado demais ao recinto da Cagece. Por fim, o debate ganhou transtornos absoletos e diante dos ânimos acirrados, e sem que a comunidade estivesse sabendo da presença dos membros da Cagece na Câmara, as discussões acaloradas teriam rendido muito diante dos inúmeros reclames.

 

Aos poucos, tudo foi se contornando, e o presidente Aderlânio foi orientado pelo assessor jurídico da Câmara Dr. Manoel Gonçalves Landim a não permitir o uso da Tribuna por parte do funcionário Clebson. Alías, esse foi um grande questionamento do Vereador Osasco. O vereador foi taxativo em dizer que não entende esse privilégio todo cedido a uma pessoa que ocupa dois cargos efetivos no município: Um como funcionário da Cagece e outro no Demutran local. E foi mais além. Pediu que isso fosse constado em Ata e que deverá haver uma sindicância para apurar o caso.

 

Quem acabou salvando o debate foi o supervisor da Cagece Rivelino Teles, que igualmente a Cícera Crispim, fez uso da palavra, mas, de forma mais esclarecedora, explicando para os presentes, quais são realmente os deveres da Cagece e do Município em relação ao abastecimento de água no Município, que para tanto nesse sentido, já existe um contrato de concessão firmado entre as partes que atesta todas as condições dessa parceria.

 

Ele acrescentou que dentro do possível, a Cagece local deverá resolver vários questionamentos da população, no tocante ao abastecimento, taxa de esgoto, tarifas domésticas e residenciais. Quaisquer outras situações, o melhor caminho é procurar resolvê-las junto à gerência local e nos casos mais prementes, a gerência regional. E de acordo com os vereadores presentes, uma Audiência Pública seria de grande valia para encaminhamento de soluções para os mais diversos problemas que envolvem o abastecimento de água no Município.

 

REQUERIMENTOS:

 

João Filho 

 

· Solicitou que seja feito calçamento em frente ao cemitério de Santa Vitoria;
· Solicitou que seja feita uma limpeza em frente à Policlínica Dr. Acilon Gonçalves;

Cicero de Nequinho

 

· Solicitou que seja enviado ofício à Vigilância Sanitária para saber quais providências foram tomadas em relação à Celma Pizzaria, quanto à fedentina da Rua Cicero José do Nascimento, e à E.E.M.T.I. Tabelião José Pinto Quezado, sobre o esgoto que escoa para a Av. Vicente Tavares Simões.

 

Assessoria de Comunicação da Câmara

Comentários