Campanha política, um teste também para as amizades

PUBLICIDADE
9 set 2016

maoSaiba que a campanha política não serve tão somente para eleger nossos representantes para o Poder Público. Fique ciente que o período eleitoral serve também para medir o termômetro de suas amizades. Isso mesmo. Nesta fase, você pode ter surpresas desagradáveis, até mesmo por parte de alguém que você menos espera.

 

E o mais impressionante: Existem pessoas que há anos são intrigadas, perderam as amizades por causa de política e de lá pra cá, houve adesões, dissidências, enfim, quem era diabo virou santo, quem era ladrão hoje é honesto, quem não prestava hoje é bom. Verdade, a política neste quesito é dinâmica, e como é…. E, note bem: só você ficou no prejuízo. Vale a pena isso? Claro que não.

 

É neste pequeno espaço de tempo que as pessoas que são tidas como amigas, podem lhe causar uma grande decepção, até mesmo entre parentes. Além das costumeiras fofocas, tem gente que neste período eleitoral, muda de comportamento: vira a cara, quando sabe que você não vota no candidato dele, deixe de trocar mensagens nas redes, sociais, especialmente no watssap, demitem do emprego e até provocam intrigas.

 

Cuidado. São pessoas falsas, traiçoeiras e egoístas. Vivemos numa democracia, temos o direito de escolha, de ir e vir, sem ser incomodado. E mais, a política passa, tudo passa e as amizades, se forem sinceras, ficam. Uma amizade verdadeira supera qualquer turbulência, mas quem deixa de ser amigo, muitas vezes, por tão pouco, na verdade, nunca o foi. Se alguém fechar a cara pra você nessa política e lhe sorrir depois, ignora essa amizade, ela não serve pra você.

 

Quero lembrar agora Augusto dos Anjos, que no seu famoso “Versos Íntimos” disse:

 

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

 

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!’

Comentários