Caririaçu cobra o Garantia Safra do Governo Federal

PUBLICIDADE
11 nov 2015

Agência Miséria – Os agricultores de Caririaçu estão cobrando do Governo Federal o pagamento do Garantia Safra. O município sofre com a seca que assola a Região Nordeste há mais de quatro anos com perdas acima de 60% e mesmo assim, não foi contemplado com o programa do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

 

O município sofre com a seca há mais de quatro anos com perdas acima de 60% (Foto: Ilustrativa)

O município sofre com a seca há mais de quatro anos com perdas acima de 60% (Foto: Ilustrativa)

Para que se tenha direito ao beneficio é preciso o pagamento de um seguro por parte do agricultor. Outra para é paga pelo município e a terceira fatia é desembolsada pelo Governo Federal.

 

O município precisa ter quitados esses pagamentos e obtido baixos índices pluviométricos e perda superior a 50% da lavoura dos produtos de subsistência, como milho, arroz e feijão. Apesar de Caririaçu se enquadrar nesse quesito, não foi contemplado com o programa que paga R$ 850,00 dividido em cinco parcelas de R$170,00.

 

Na manhã dessa terça-feira (10) foi realizada uma mobilização entre EMATERCE (Empresa de Assistência Técnica de Extensão Rural do Ceará), Câmara de Vereadores, Prefeitura Municipal, representantes de entidades e sindicatos ligados à agricultura para tratar sobre o assunto.

 

Os índices apresentados pela Ematerce e IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) mostram números com perda superior a 64%.

 

O diretor local da Ematece, Sergio Linhares, disse que só o MDA pode explicar a situação que se apresenta. “Caririaçu teve índices 14% acima do preconizado, em termos de perdas, para ser contemplado tanto nos índices do IBGE quanto nos índices da Ematerce. A chuvas não caíram, tanto que o açude que abastece a cidade está seco e a sede esta sendo abastecida por adutora emergencial e a zona rural está sendo abastecida por carros pipas não entendo porque a cidade não foi contemplada”, disse.

 

O prefeito da cidade, João Marcos (PMDB), disse que deve ir à Brasília para tentar reverter à situação. Um relatório que foi elaborado durante a reunião ocorrida na manha de terça-feira será entregue no ministério. Ele disse ainda que deve tentar angariar o apoio de deputados e senadores para reverter o quadro.

Comentários