Ceará frustrado: Petrobras põe fim a um sonho de 60 anos

Ceará frustrado: Petrobras põe fim a um sonho de 60 anos

PUBLICIDADE
29 jan 2015
Foto de ontem do terreno, já cercado, onde ficaria a Refinaria. FOTO: CHICO ALENCAR/ESPECIAL PARA O POVO

Foto de ontem do terreno, já cercado, onde ficaria a Refinaria. FOTO: CHICO ALENCAR/ESPECIAL PARA O POVO

Depois de idas e vindas que já duram 60 anos, o sonho da implantação de uma refinaria no Ceará foi frustrado pela Petrobras. A estatal anunciou que decidiu encerrar os projetos de investimento para a implantação das refinarias Premium I, no Maranhão, e Premium II, no Ceará. O projeto encerrado já custou R$ 657 milhões aos cofres do Estado do Ceará.

 

A quebra do acordo foi unilateral e pegou o Governo do Estado de surpresa. O governador Camilo Santana cobrou explicações da Petrobras e disse que vai lutar pelo empreendimento. “Uma vez que o Ceará cumpriu todos requisitos para a implantação da refinaria, o Governo afirma que continuará lutando e empreendendo todos os esforços para viabilizar este importante projeto”, diz nota oficial.

 

Camilo solicitou ainda uma audiência com a presidenta Dilma Rousseff. A nota do Governo “repudia totalmente” a decisão da Petrobras e diz ser “um desrespeito da empresa com o povo cearense.”

 

Ainda há uma esperança de a Petrobras reconsiderar a decisão se houver nova demanda de refino a partir de 2025. “Há indícios que nova adição de refino possa se dar a partir de 2025. Caso nova demanda se confirme para este horizonte, projetos de adição de capacidade de refino poderão voltar a fazer parte dos próximos Plano de Negócios e Gestão da Companhia”, disse a estatal em nota.

 

Com o valor internacional do petróleo despencando, a perda de preço de mercado da Petrobras e a crise política com as investigações de corrupção da operação Lava Jato, as refinarias acabaram deixando de ter viabilidade financeira. A Petrobras alega ainda ausência de parceiro econômico para o empreendimento.

 

O petróleo no mercado internacional caiu para cerca de US$ 45 o barril, depois de já ter alcançado o patamar de US$ 120. O valor inviabiliza as refinarias e também a produção de pré-sal. Analistas apontam que valor abaixo de US$ 80 não é interessante para exploração de pré-sal.

 

A Petrobras já perdeu R$ 251 bilhões em valor de mercado desde 2010. Ontem chegou a R$ 114,8 bilhões.

 

A estatal argumenta que a baixa dos valores da construção das refinarias Premium I (R$ 2.111 milhões) e Premium II (R$ 596 milhões) é estimada em R$ 2,7 bilhões.

 

A primeira vez em que se falou de refinaria no Ceará foi em 1955. Em 1998, o Governo do Estado chegou a anunciar um empreendimento, em parceria com o grupo alemão Thyssen, mas não avançou. Quando o ex-presidente Lula chegou à presidência em 2003, a discussão ressurgiu. Em 2005, as articulações se intensificaram, mas a refinaria foi para Pernambuco. No Ceará, o ex-presidente lançou pedra fundamental em dezembro de 2010.

 
A Refinaria seguia como um “projeto em avaliação” desde março de 2013. No mês seguinte, o terreno de 1.930 hectares foi doados pelo Governo do Estado.

 

 

O Povo Online

Comentários