Consumo médio de água do Ceará é quase 40 litros menor do que a média do Brasil

PUBLICIDADE
21 jan 2015
Nenhum estado conseguiu alcançar um índice de perda na distribuição menor de 20%. (Foto: Mauri Melo/O Povo)

Nenhum estado conseguiu alcançar um índice de perda na distribuição menor de 20%. (Foto: Mauri Melo/O Povo)

O consumo médio de água por habitante do Ceará é de 128,4 litros, cerca de 37,9 litros inferior ao da média do Brasil, de 166,3 litros, aponta a Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 21, no ”Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgotos”, referente ao ano de 2013. Em relação aos outros estados, o Ceará é o sexto com menor consumo.

 

Segundo o levantamento, o Ceará consome mais água por habitante que Sergipe (123,4 l/hab), Rio Grande do Norte (114,8 l/hab), Bahia (110,6 l/hab), Pernambuco (105,3 l/hab) e Alagoas (99,7 l/hab). As informações foram identificadas a partir do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), que indica a média diária, por indivíduo, dos volumes utilizados para satisfazer os consumos domésticos, comercial, público e industrial.

 

O SNIS define o consumo médio de água por habitante como o volume de água consumido excluído o volume de água exportado. Esse número é dividido pela média aritmética da população atendida com abastecimento, em 2012 e 2013. O Nordeste é a região de menor média de consumo, com 125,8 l/hab, cerca de 68,2 l/hab a mais que o Sudeste, com a maior média (194,0 l/hab).

 

Ao todo, foram levantados dados de abastecimento de 5.035 municípios com 165,7 milhões de habitantes (população urbana). Para esgotamento sanitário foram coletas informações de 3.730 cidades com uma população de 154,7 milhões de residentes. Os dados serão utilizados para as projeções de demanda, dimensionamento de sistemas de água e de esgotos, e para o controle operacional.

 

Estados

 

O SNIS explica que, novamente, o Rio de Janeiro aparece com média bastante elevada em relação os demais estados. Com 253,1 l/hab em 2013 (em 2012 foi de 244,1 l/hab.dia), o estado apresenta valor 24,1% acima da média da região Sudeste e 52,2% acima da média do Brasil. Além do Rio, apresentaram consumo maior que a média do País: Maranhão, Amapá, Espírito Santo, Distrito Federal, São Paulo e Rondônia.

 

Mesmo com o índice inferior ao da média nacional, o Ceará e nenhum outro estado conseguiu alcançar a melhor faixa, com índice de perda na distribuição menor que 20%. Distrito Federal e Goiás estão enquadrados na segunda melhor faixa, entre 20 e 30%.

 

O Ceará aparece com índice de perda na distribuição menor que 40%, junto com outros onze estado: Tocantins (região Norte), Paraíba, Ceará e Maranhão (região Nordeste), Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo (região Sudeste), Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul (região Sul) e Mato Grosso do Sul (região Centro- Oeste), na ordem das regiões geográficas brasileiras.

 

Na última faixa, maior que 40%, restaram 13 estados: Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia e Roraima (região Norte), Alagoas, Bahia, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe (região Nordeste) e Mato Grosso (região Centro-Oeste), também na ordem das regiões geográficas brasileiras. Na pior faixa encontram-se majoritariamente estados do Norte e Nordeste, mais um estado no Centro-Oeste.

 

O Povo Online

Comentários