Em segundo dia de protestos, idosa é atingida por gás de pimenta em Icó

Em segundo dia de protestos, idosa é atingida por gás de pimenta em Icó

PUBLICIDADE
23 fev 2018

Uma senhora de 86 anos, conhecida pela comunidade como Dona Creuza, estava protestando nessa quinta-feira, 22, junto com professores da rede municipal da cidade de Icó, contra os cortes no salário dos servidores. A Câmara aprovou nesta quinta-feira, 22, a redução pela metade no salário de integrantes do magistério. Em uma live no Facebook da Rádio Mais FM Educativa, enquanto dava entrevista, é possível ver o momento que a movimentação intensa dos manifestantes começa e a idosa é levada pelo filho para longe. “Estou aqui porque meus netos estudam”, disse ela.

 

Foto: (Reprodução/ Facebook)

 

As denúncias contra a ação policial presente na manifestação estão sendo feitas pelo Sindicato de Servidores de Icó. O secretário de comunicação da organização, Júnior Araújo, afirmou que houve violência por parte dos policiais desproporcional contra quem estavam presentes no protesto. Além disso, o Sindicato atribuiu a liderança da força policial ao secretário da Segurança Pública e Cidadania, Gilson Lima.

 

Este foi o segundo protesto da semana na cidade do interior do estado. O que motiva professores e moradores a irem às ruas é uma proposta da prefeita Laís Nunes que faz cortes no salário de 362 profissionais da rede municipal de educação. Os manifestantes e integrantes de sindicatos são contra a medida e afirmam que houve irregularidades na votação, pedindo pelo anulamento.

 

Júnior Araújo relatou que os sindicatos e professores irão recorrer judicialmente contra a medida, já que veem erros institucionais na decisão. De acordo com ele, a votação deveria ter sido nominal, com cada vereador falando sua decisão, mas isso não aconteceu. Outro ponto levantado é de que a proposta não teria sido avaliada pela Câmara Municipal antes da votação. Os manifestantes encaminharam um ofício pedindo um momento de negociação com o município para que as reclamações sejam ouvidas. Ao contrário, irão deflagrar greve na sexta-feira, 2 de março.

 

Resposta do secretário

 

Em entrevista ao O POVO Online, Gilson Lima afirmou que a força de contenção utilizada no protesto foi devido à tentativa de quebrar o cordão de isolamento que distanciava os manifestantes da Câmara Municipal, onde estava ocorrendo a segunda votação da medida. Ele disse que somente o gás de pimenta foi utilizado. Gilson narra que algumas pessoas estariam ameaçando vereadores de agressão, por isso julgou a proteção como necessária. “Quero deixar claro que os professores estavam se manifestando pacificamente, mas alguns baderneiros estavam com bombas e ameaçando funcionários da prefeitura. Sem a polícia, poderia ter ocorrido um linchamento”.

 

A reportagem entrou em contato com a Polícia Militar, mas não houve retorno até a publicação desta matéria.

 

Fonte: O Povo Online

Comentários