ENTENDA: Alunos da Escola Leopoldina Gonçalves Quezado sentem na pele o que passam os heróis anônimos nos mais diferentes aspectos;. FOTOS

ENTENDA: Alunos da Escola Leopoldina Gonçalves Quezado sentem na pele o que passam os heróis anônimos nos mais diferentes aspectos;. FOTOS

PUBLICIDADE
10 out 2016

Um estudante no meio da rua empurrando carrinho de verduras, outro ajudando na realização da limpeza pública nas ruas da cidade, pais assistindo aula na escola, ao invés dos verdadeiros alunos, ou seja, seus filhos… ISSO ESTÁ MAIS DO QUE CERTO. Acha que não? CALMA, estamos falando do Projeto “Sentindo na pele: A linguagem do mundo lida através de personagens reais”.

 

A ação faz parte do projeto Sentindo na pele: A linguagem do mundo lida através de personagens reais, orientado pela professora Débora Leite e desenvolvido junto a alunos do 2º Ano do Curso de Desenho da Construção Civil. FOTO: DIVULGAÇÃO

A ação faz parte do projeto Sentindo na pele: A linguagem do mundo lida através de personagens reais, orientado pela professora Débora Leite e desenvolvido junto a alunos do 2º Ano do Curso de Desenho da Construção Civil. FOTO: DIVULGAÇÃO

 

Na manhã do dia 04 de outubro, alunos da EEEP Leopoldina Gonçalves Quezado, foram às ruas para acompanharem de perto o cotidiano dos heróis anônimos de nossa cidade. A ação faz parte do projeto Sentindo na pele: A linguagem do mundo lida através de personagens reais, orientado pela professora Débora Leite e desenvolvido junto a alunos do 2º Ano do Curso de Desenho da Construção Civil. O projeto tem como objetivo levar os estudantes a refletirem, diante de um mundo tão egoísta, sobre a capacidade que cada um tem de se colocar no lugar do outro.

 

Os estudantes estiveram durante um dia com profissionais da educação, direito, medicina, enfermagem, limpeza pública, comércio ambulante, dentre outros. FOTO: DIVULGAÇÃO

Os estudantes estiveram durante um dia com profissionais da educação, direito, medicina, enfermagem, limpeza pública, comércio ambulante, dentre outros. FOTO: DIVULGAÇÃO

 

Os estudantes estiveram durante um dia com profissionais da educação, direito, medicina, enfermagem, limpeza pública, comércio ambulante, dentre outros, contabilizando 20 pessoas entre profissionais e cidadãos comuns. As ações também contaram com o apoio dos pais que trocaram de papel com seus filhos por um dia, assistindo todo o dia de aula em uma das turmas da escola.

 

A proposta visa despertar o lado humano na educação, lançando assim novo olhar para essas pessoas que são enxergadas como meros figurantes. FOTO: DIVULGAÇÃO

A proposta visa despertar o lado humano na educação, lançando assim novo olhar para essas pessoas que são enxergadas como meros figurantes. FOTO: DIVULGAÇÃO

 

Relevância do projeto

 

As ações consistem em expô-los a situações atípicas a sua realidade, ressaltando a figura dos verdadeiros heróis do cotidiano que acabam não sendo vistos, mas que têm uma grande lição a passar para eles através de suas histórias de vida. A proposta visa despertar o lado humano na educação, lançando assim novo olhar para essas pessoas que são enxergadas como meros figurantes.

 

Mais fotos:

 

Comentários