Ex-prefeito de Barbalha, Rommel Feijó é condenado a 16 anos de reclusão por participação em esquema de propina

Ex-prefeito de Barbalha, Rommel Feijó é condenado a 16 anos de reclusão por participação em esquema de propina

PUBLICIDADE
14 dez 2018

Rommel Feijó foi condenado pela Justiça Federal a 16 anos de reclusão em regime fechado.
Foto: Arquivo

A Justiça Federal condenou o ex-prefeito de Barbalha e ex-deputado federal Francisco Rommel Feijó de Sá a 16 anos de prisão por envolvimento no que ficou conhecido por “máfia das ambulâncias”. O processo foi movido a partir de ação civil do Ministério Público Federal e a sentença foi proferida pela 16ª Vara Federal no dia 7 de dezembro. Ainda cabe recurso.

 

Rommel Feijó foi investigado por promover licitações fraudulentas que destinavam ambulâncias e materiais hospitalares a instituições filantrópicas de Missão Velha, Crato e Barbalha em troca de propinas. Ele recebia 10% do valor total pago às empresas contratadas que também faziam parte do esquema.

 

Além da pena de 16 anos, dez meses e 24 dias de reclusão em regime fechado, o político deve ainda pagar o equivalente a 432 dias-multa, à razão de um terço do salário mínimo vigente em 2004, o referente a uma soma de R$ 37.440.

 

Fonte: Diário do Nordeste

Comentários