Falta de material atrasa testes do pezinho há quatro meses no Ceará

Falta de material atrasa testes do pezinho há quatro meses no Ceará

PUBLICIDADE
28 nov 2016

saude_pezinho_f-fernando_teixeiraFamiliares reclamam que o teste do pezinho não está sendo realizado desde julho no Ceará. A denúncia também é da Sociedade Cearense de Pediatria, a qual afirma que nenhuma unidade de saúde do estado está concluindo o exame. O problema é a falta de material para a elaboração dos testes.

 

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) informou que houve “dificuldade orçamentária” com o fornecedor dos insumos para a realização dos testes do pezinho. “A situação está sendo solucionada e há uma previsão de que os exames voltem a ser feitos em um prazo de até 10 dias. O Lacen vai fazer um mutirão para regularizar as coletas que foram realizadas desde julho”, disse, em nota.

 

O teste, feito entre o terceiro e sétimo dia de vida, pode detectar até seis tipos de doenças, que permite um tratamento rápido e pode evitar consequências graves no futuro. É exigido por lei, mas desde julho está em falta na rede pública.

 

A presidente da Sociedade Cearense de Pediatria, Francielze Lavor, denuncia que o Lacen não dispõe dos reagentes e do material necessário para realização desse teste. “Existem promessas de que, em breve, serão normalizados. Mas nós não temos um cronograma de retorno a essa atividade normal da coleta dos testes”, opina.

 

As consequências desse impasse podem ser muito sérias, reforçam os especialistas. Uma criança com hipotireoidismo, por exemplo, e que não tenha feito teste do pezinho para ser diagnosticado precocemente pode desenvolver atraso no crescimento, problemas cardíacos e problemas no desenvolvimento mental.

 

“Realmente há essa importância. Não é algo que você possa dizer que vai fazer daqui a seis meses. Daqui a seis meses, se a criança tem a doença, essa criança já está com o comprometimento muito acentuado e, mais importante, irreversível. Porque as sequelas neurológicas são irreversíveis”, explica a médica.

 

Preocupação

 

Ivanara Lima é mãe do Lionel Messi, que nasceu com nome de artilheiro, mas o pezinho trouxe preocupação para a família. Ele já tem quatro meses e o teste, feito no Hospital de Maracanaú, ainda não ficou pronto. “O exame do pezinho dele foi realizado no dia 12 de agosto de 2016, e até hoje não recebi ainda. O pediatra dele tá pedindo com urgência, por conta de alguns problemas que estão apresentando nele’.

 

Preocupada, Ivanara ligou para a Secretaria de Saúde de Maracanaú. Foram várias ligações ao longo dos meses, mas as respostas preocupam.

 

“Quando eu ligo para o laboratório responsável pelo resultado, eles informam que desde julho não foi realizado nenhum, porque o governo do estado não está repassando verba para poder comprar o material para realizar os exames. A gente quer receber esse resultado, que é muito importante pra saúde dele. Mas a gente fica sem saber o que fazer. Um exame importante, uma espera longa dessa é inadmissível”, critica.

 

Fonte: G1 Ceará

Comentários