Juazeiro do Norte: Enciumada, jovem se arma com quatro facas e mantém o marido e um bebê reféns

PUBLICIDADE
26 ago 2014
Roselina Martins manteve o marido e um bebê reféns (Foto: Cícero Valério/Agência Miséria)

Roselina Martins manteve o marido e um bebê reféns (Foto: Cícero Valério/Agência Miséria)

Uma jovem que ingeria bebidas alcoólicas com o marido trancou o mesmo dentro de casa e o ameaçava com quatro facas a exemplo de um bebê do casal de apenas 7 meses de idade na tarde desta segunda-feira. Em meio a busca de entendimentos com Roselina Martins Alves Soares, de 23 anos, policiais militares invadiram a residência dela na Rua Joaquim da Rocha, 150 (Bairro Romeirão) em Juazeiro do Norte, tomaram as armas e libertaram os reféns.

 

Na delegacia, o esposo da acusada falou sobre a desconfiança da mesma de que estaria reatando um relacionamento com sua ex-namorada. Como acrescentou, o tema vem desgastando o convívio entre ambos até que, um dia, chegou a comentar quanto a inviabilidade de continuarem juntos. O manifesto do desejo de separação agravou a situação. Na manhã de ontem, Roselina disse que estava com vontade de beber e pediu ao companheiro para comprar cervejas e os dois passaram a ingerir a bebida juntos.

 

Tudo estava muito bem, mas o clima voltou a ficar tenso quando ele tornou a falar em separação. A jovem se descontrolou e armou-se com as facas, trancou as portas do imóvel com chaves impedindo que ele saísse passando a ameaçá-lo de morte juntamente com a filha do casal. A mulher dizia que se este não ficasse com a mesma não iria ficar com mais ninguém e passou a quebrar objetos dentro de casa quando a polícia foi acionada e o Subtenente Marques deu início às negociações. O Cabo César ainda saiu ferido na mão ao segurar uma das facas.

 

faca juazeiro

Facas usadas por Roselina (Foto: Cícero Valério/Agência Miséria)

 

Por coincidência, nessa mesma casa, porém em junho de 2009, um casal mantinha os quatro filhos trancados e em condições inóspitas dentro do imóvel numa espécie de cárcere privado. Luciana e Francisco Pereira apresentavam sinais de distúrbios mentais e a polícia esteve no local com o pessoal do CREAS (Centro de Referência Especializado da Assistência Social). Os filhos eram dois meninos de 12 e 13 anos e duas garotas de 10 e 11 anos, os quais, há vários dias, não saíam à rua causando a desconfiança de vizinhos e a denúncia, pois o casal mantinha as portas trancadas.

 

Agência Miséria

Comentários