Ministério reconhece emergência em 95% das cidades do Ceará devido à seca

Ministério reconhece emergência em 95% das cidades do Ceará devido à seca

PUBLICIDADE
13 nov 2014
No Ceará, devido à seca, associação faz bingo de poço profundo (Foto: Gioras Xerez/G1 Ceará)

No Ceará, devido à seca, associação faz bingo de
poço profundo (Foto: Gioras Xerez/G1 Ceará)

O Ministério da Integração reconheceu nesta quarta-feira (12) o estado de emergência em 176 das 184 cidades cearenses por conta da seca, o que vale a 95,6% dos municípios. O Ministério reconheceu situação similar em cinco cidades da Bahia, São Paulo e Minas Gerais.

 

O Governo do Estado do Ceará havia e publicado no Diário Oficial do Estado em 6 de novembro a situação. A emergência foi decretada devido à irregularidade na quantidade e na distribuição temporal e espacial de chuvas, que provocou insuficiência na recarga dos mananciais, comprometendo o armazenamento de água e causando problemas no abastecimento de água para o consumo humano e animal.

 

O decreto, assinado pelo Governador do Ceará, Cid Gomes, é válido por 180 dias. Apenas a capital e os municípios de Maracanaú, Eusébio, Horizonte e Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza, além de Juazeiro do Norte e Barbalha, na Região do Cariri, e Guaramiranga, no Maciço de Baturité, estão fora do decreto.

 

Com a situação reconhecida, ações de socorro às famílias atingidas são agilizadas. Além disso, as cidades passam a contar com linhas emergenciais de crédito para amenizar as perdas econômicas nas áreas atingidas pelo período de seca, com a renegociação de dívidas agrícolas e expansão dos programas como o Garantia-Safra, Operação Carro-Pipa e Bolsa-Estiagem. Este último, um benefício de R$ 80 mensais pagos a agricultores familiares durante o período de vigência da emergência.

 

G1 Ceará

Comentários