MPE pede reforço da Força Nacional para o 2º turno das eleições no Ceará

MPE pede reforço da Força Nacional para o 2º turno das eleições no Ceará

PUBLICIDADE
14 out 2014
O pedido foi feito após o governador Cid Gomes ter apontado a presença de milícias policiais facilitando um esquema de crimes eleitorais. (Foto: Divulgação)

O pedido foi feito após o governador Cid Gomes ter apontado a presença de milícias policiais facilitando um esquema de crimes eleitorais. (Foto: Divulgação)

O Menistério Público Eleitoral no Ceará solicitou ao Tribunal Regional Eleitoral nesta segunda-feira (13) a presença da Força Nacional no Ceará durante as eleições do segundo turno, em 26 de outubro. O pedido do TRE poderá ser foi feito ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso o reforço seja atendido, a Força Nacional deverá atuar De acordo com o Ministério Público Eleitoral, a presença de tropas federais seria necessária nas cidades de Caucaia, Maracanaú, Maranguape e Pacatuba, além da capital cearense.

 

A partir deste pedido do MPE, a presidente do TRE-CE, desembargadora Iracema do Vale, enviará ofício ao Governador do Ceará, Cid Gomes, para que ele se manifeste sobre a necessidade do reforço de tropas federais “para garantir a lisura e a segurança do pleito”.

 

O pedido foi feito após o governador Cid Gomes ter apontado a presença de milícias policiais facilitando um esquema de crimes eleitorais.

 

Após a votação no primeiro turno, em 5 de outubro, o governador do Ceará, Cid Gomes, havia citado uso de uma suposta milícia, comandada por políticos apoiadores de Eunício Oliveira (PMDB). Eunício Oliveira disputa o cargo de governador no segundo turno com Camilo Santana (PT), apoiado por Cid Gomes. Ainda em 5 de outubro, Eunício havia denunciado Cid por suposto uso da máquina pública a favor de Camilo Santana. Os dois negam as acusações de irregularidades.

 

“Tem-se portanto manifesto temor de que venha a ocorrer o cerceamento ao regular exercício das atividades policiais afetas à Polícia Militar. Bem como que novamente seja posta em prática a esdrúxula medida de fixar as viaturas em pontos base e somente permitir que ingressem em circulação a partir do que for determinado pelos órgãos de segurança pública. Por outro lado, tem-se situação de notório acirramento de ânimos considerando o engajamento em campanha eleitoral do candidato Capitão Wagner, candidato mais votado ao cargo de Deputado Estadual, opositor do grupo político liderado pelo Governador Cid Ferreira Gomes”, registra o procurador Rômulo Conrado.

 

G1 Ceará

Comentários