Mulheres protestam contra violência em caminhada pelas ruas de Juazeiro do Norte

PUBLICIDADE
10 jul 2014
Cerca de 150 mulheres se mobilizaram na Praça da Prefeitura de Juazeiro do Norte em protesto contra violência (Foto: Cícero Valério/Agência Miséria)

Cerca de 150 mulheres se mobilizaram na Praça da Prefeitura de Juazeiro do Norte em protesto contra violência (Foto: Cícero Valério/Agência Miséria)

De acordo com o “Movimento Frente das Mulheres do Cariri”, em dez anos 220 mulheres foram vítimas de homicídio na Região. Tendo com base esses dados e a crescente violência contra o gênero feminino, cerca de 150 mulheres se mobilizaram na Praça da Prefeitura de Juazeiro do Norte na manhã desta quarta-feira (8/7). Em seguida, percorreram a Rua São Pedro em direção à Praça Padre Cicero.

 

O ato se deu após casos mais recentes em que quatro mulheres foram brutalmente assassinadas por seus companheiros somente em Juazeiro do Norte. Segundo a delegada Camila Moura em entrevista ao Jornal do Cariri, a presença do machismo e a aceitação da sociedade sobre os crimes contra mulheres são os principais fatores que culminam com o aumento do feminicídio.

 

“Nós estamos querendo chamar a atenção da população para a questão da denúncia. Esse movimento é para que você faça a denúncia e essa pessoa não fique sem assistência.”, Adriana Brito, presidente do Conselho da Mulher de Juazeiro do Norte.

 

Adriana ressaltou, ainda, que muitas mulheres permanecem em relacionamentos conturbados e violentos. A entidade da qual ela faz parte orienta as companheiras a abandonaram esse tipo de ligação afetiva.

 

“Quando a gente identifica um caso e percebe que é um caso que já houve agressão física, vamos procurar conscientizar essa mulher para que ela tenha autonomia de se firmar e dizer não àquele tipo de relação”.

 

Foram mortas em Juazeiro do Norte, Cícera Apoliana Gonçalves de Souza (21), Lídia Maria Moreira da Silva (32), Zenaide Sabiá (36), Elizabeth Bernardo (46), Maria Erilene Vieira de Souza (34) e Antônia Cicleide de Oliveira (28).

Fonte: Agência Miséria

Comentários