Novo secretário da Saúde do Ceará destaca parceria com municípios como alternativa de melhoria no setor

Novo secretário da Saúde do Ceará destaca parceria com municípios como alternativa de melhoria no setor

PUBLICIDADE
6 jan 2015
“Países passam por anos difíceis. Vamos ver como é que a gente vai sobreviver”. disse o novo secretário. (Foto: Rodrigo Carvalho/O Povo)

“Países passam por anos difíceis. Vamos ver como é que a gente vai sobreviver”. disse o novo secretário. (Foto: Rodrigo Carvalho/O Povo)

O novo secretário da Saúde, Carlile Lavor, declarou ontem, ao receber o cargo de Ciro Gomes, que pretende integrar mais a saúde às demais pastas da administração e reforçar a parceria do Estado com os municípios para a prevenção de doenças e acidentes que lotam hospitais do interior e da capital.

 

Lavor destacou essa necessidade citando uma cena que viu numa recente passagem pelo interior -dezenas de motoqueiros tomando bebida alcoólica. Comportamento gerador de acidentados que superlotam o Instituto Doutor José Frota, disse o secretário.

 

“Não cabe mais ninguém no IJF. É importante termos mais hospitais. Mas se a gente não ajudar na prevenção, os hospitais não vão dar conta”, declarou.

 

O novo secretário também falou das dificuldades que poderão surgir também no setor da saúde por causa da situação das finanças públicas no Brasil e da contenção de gastos anunciada pelo governador Camilo Santana (PT) para 2015. “Países passam por anos difíceis. Vamos ver como é que a gente vai sobreviver”.

 

Para ilustrar a previsão de arrocho, Carlile fez a plateia rir ao contar uma conversa que teve com Camilo sobre a primeira reunião do governador com seu secretariado, que será realizada nesta quarta-feira no Palácio da Abolição. “(Eu perguntei): ‘doutor Camilo, qual vai ser o tema da reunião?’ Ele respondeu: ‘notícias ruins’”.

 

Lavor foi o idealizador do Programa Agente Comunitário de Saúde, implantado no Ceará em 1987, no governo de Tasso Jereissati, quando também foi secretário da Saúde. O programa foi adotado pelo Ministério da Saúde em 1991 e chegou a ser implantado fora do Brasil. Na cerimônia de transmissão de cargo, Ciro Gomes disse que Camilo escolheu a pessoa “com a melhor condição de fazer tudo melhorar” na saúde.(BP)

 

O Povo

Comentários