Pesquisa mostra que 48% dos jovens acham errado mulher sair de casa sem o parceiro

Pesquisa mostra que 48% dos jovens acham errado mulher sair de casa sem o parceiro

PUBLICIDADE
4 dez 2014
66% das mulheres e 55% dos homens confessaram ter sofrido alguma violência como xingamento, tapas, empurrões e socos. (Foto: Divulgação)

66% das mulheres e 55% dos homens confessaram ter sofrido alguma violência como xingamento, tapas, empurrões e socos. (Foto: Divulgação)

Uma pesquisa feita com 2.046 jovens entre 16 a 24 anos mostrou que 48% deles acham errado a atitude da mulher sair de casa sem o parceiro. Os dados fazem parte de um levantamento feito no País pelo Instituto Avon e Data Popular, sobre violência doméstica e relacionamentos, divulgados nesta quarta-feira (3).

 

Com o nome “Violência contra a mulher: o jovem está ligado?”, a pesquisa concluiu que 76% dos jovens (homens e mulheres) acham incorreto que a mulher tenha vários parceiros eventuais 38% concordam que a mulher que tem relações sexuais com vários homens “não é para namorar.”

 

Sobre o relacionamento e o uso de redes sociais, a pesquisa mostrou também que, 19% dos entrevistados (homens e mulheres), já excluíram algum amigo de um perfil em uma rede social a pedido do parceiro e que, 17% tiveram que parar de conversar com um amigo virtualmente. Visando ter total domínio do ambiente virtual vivido pelo parceiro, 46% dos jovens entrevistados declararam ter compartilhado com o parceiro a senha do Facebook.

 

O perigo de compartilhar autoretratos (as chamadas selfies) sem roupa, se mostrou evidente. 32% das mulheres já receberam imagens de homens nu. No caso dos homens que recebem imagens de mulheres despidas, este total aumenta para 41%.

 

Violência nos relacionamentos

 

O estudo trouxe relatos de atitudes violentas nos relacionamentos. 66% das mulheres e 55% dos homens confessaram ter sofrido alguma violência. Entre as atitudes listadas estão xingar, empurrar, ameaçar, dar um tapa, impedir de sair de casa, proibir de sair à noite, impedir de usar determinada roupa, humilhar em público, dar um soco, obrigar a ter relação sexual sem vontade, ameaçar com arma, entre outras.

 

A pesquisa faz parte da campanha Fale sem Medo – Não à Violência Doméstica, do Instituto Avon, que colabora com projetos para o combate à violência desde 2008. A campanha, segundo a empresa, “visa contribuir para a educação, conscientização e reflexão para a prevenção e o combate da violência doméstica no país”.

 

“Esse tipo de pesquisa nos permite perceber que esse é um espaço onde as relações estão se dando entre os jovens e os mesmos padrões que são dão na realidade se dão também no mundo virtual”, disse Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres no Brasil.

 

A representante da ONU observa ainda que, apesar de reconhecer comportamento machista na sociedade, parte dos jovens reproduz esses valores de acordo com o apresentado na pesquisa. “O que é surpreendente é que você tem quase metade dos jovens aprovando valores do machismo na questão do controle e na possibilidade das mulheres de saírem sós e se vestir. Isso provoca surpresa porque era esperado que essas situações fossem ultrapassadas pelos jovens”, observou.

 

Diário do Nordeste

Comentários