Petrobras reajusta o preço do diesel e mantém o da gasolina

PUBLICIDADE
6 jan 2017

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (5) que reajustará o preço do diesel nas refinarias em 6,1%. Já o preço da gasolina será mantido inalterado.

 

Segundo a estatal, os novos valores passam a valer a partir desta sexta-feira (6). Se o reajuste for repassado integralmente pelos postos de gasolina para o consumidor, a Petrobras estima que o preço do diesel pode subir 3,8% ou cerca de R$ 0,12 por litro, em média.

 

Este é o segundo mês consecutivo que o preço do diesel é reajustado pela Petrobras. Em dezembro, contudo, o preço da gasolina também subiu. No dia 5 de dezembro, após duas quedas de preços seguidas, a Petrobras anunciou reajuste de 9,5% no diesel e aumento de 8,1% no preço da gasolina.

 

Em comunicado, a Petrobras justificou o novo aumento do diesel ao “efeito da continuada, embora mais discreta, elevação dos preços do petróleo nos mercados internacionais, pela valorização do real desde a última revisão de preços e por ajustes na competitividade da Petrobras no mercado interno de gasolina e diesel”.

 

“As revisões anunciadas hoje refletem também movimentos sazonais nas cotações globais dos derivados, com os preços do diesel respondendo a uma maior demanda em função de inverno no hemisfério norte”, acrescentou a estatal.

 

Nova política de preços

 

Em outubro, a empresa mudou sua política de definição de preços. Desde então, um comitê se reúne pelo menos uma vez a a cada 30 dias para decidir o valor dos combustíveis nas refinarias.

 

O preço médio da gasolina no país encerrou 2016 em R$ 3,755 por litro, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O valor ficou 3,3% acima do registrado na semana que encerrou no dia 1º de janeiro de 2016 e abaixo da inflação esperada para 2016.

 

O diesel fechou o ano com preço médio por litro de R$ 3,051, o maior valor registrado em 2016, acumulando alta de 2,18% no ano, segundo a ANP. Já o etanol encerrou o ano em R$ 2,844, alta de 6,88% em 2016.

 

Fonte: G1

Comentários