PF cumpre mandado em Juazeiro do Norte contra suspeito de fraude na Receita Federal

PUBLICIDADE
26 mar 2015
A operação em Juazeiro foi iniciada às 6 horas da manhã, em uma residência localizada no bairro Jardim Gonzaga (conhecido como Lagoa Seca).  FOTO: DIVULGAÇÃO

A operação em Juazeiro foi iniciada às 6 horas da manhã, em uma residência localizada no bairro Jardim Gonzaga (conhecido como Lagoa Seca). FOTO: DIVULGAÇÃO

A Operação Zelotes, deflagrada pela Polícia Federal com o objetivo de desarticular organizações criminosas que atuavam no Ceará, no Distrito Federal e em São Paulo, cumpre um mandado de busca e apreensão em Juazeiro do Norte, 493,4 km de Fortaleza. Os suspeitos manipulavam o trâmite de processos e o resultado de julgamentos junto ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

 

A operação em Juazeiro foi iniciada às 6 horas da manhã, em uma residência localizada no bairro Jardim Gonzaga (conhecido como Lagoa Seca). O suspeito não estava em casa, conforme o delegado da PF, Samuel Elanio de Oliveira, e foram apreendidos documentos, computadores, pen drives e dois veículos – uma Hillux e um Siena.

 

Segundo Samuel, os cofres também foram revistados, mas nenhuma quantia em dinheiro foi encontrada. A identidade do suspeito, que está viajando, não foi revelada e segue sob segredo de Justiça, conforme a PF.

 

O prejuízo à Receita Federal de R$ 5,7 bilhões foi confirmado e pode chegar até R$ 19 bilhões, ainda segundo a PF. Ao todo, 41 mandados de busca e apreensão são cumpridos: um no Ceará, 16 no estado de São Paulo (em Santo André, Barueri e São Paulo) e 24 em Brasília.

 

As investigações, iniciadas em 2013, apontam que os servidores repassavam informações privilegiadas, obtidas dentro do Carf, para escritórios de assessoria, consultoria ou advocacia. Com os dados, os suspeitos realizavam a captação de clientes e intermediavam a contratação de “facilidades” dentro do conselho.

 

A PF informou ainda que os investigados vão responder pelos crimes de advocacia administrativa fazendária, tráfico de influência, corrupção passiva, corrupção ativa, associação criminosa, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

 

O Povo Online

Comentários