População de Nova Olinda é obrigada a ligar para celular dos policiais

População de Nova Olinda é obrigada a ligar para celular dos policiais

PUBLICIDADE
8 maio 2015
A Sejus informou que a paralisação das obras de reforma e ampliação da cadeia de Santana do Cariri se deve à espera da realização de uma nova licitação.

A Sejus informou que a paralisação das obras de reforma e ampliação da cadeia de Santana do Cariri se deve à espera da realização de uma nova licitação.

A população deste município continua temerosa em relação ao número de roubos e assaltos decorrentes das falhas no setor de segurança pública. Embora haja contingente policial militar e viatura que recentemente foi entregue pelo governo do Estado para realização de rondas policiais e auxílio na captura de criminosos, as deficiências que o setor apresenta ainda implicam na falta de confiança da população e no aumento dos índices de criminalidade.

 

Como em 2013, não há aparelho de telefonia fixa no local. Para realizar denúncias ou pedir o auxílio da Polícia, a população precisa ligar diretamente para os números dos celulares dos policiais em serviço.

 

Dentre os problemas evidenciados, a ausência de condições de infraestrutura do local utilizado como destacamento policial e o atraso nas obras de recuperação da cadeia pública municipal são os que mais chamam a atenção da sociedade local. A situação não é nova. No dia 11 de setembro de 2013 a reportagem relatou a situação da falta de segurança pública no município. Naquela ocasião, moradores e comerciantes se diziam assustados com a quantidade de roubos e assaltos registrados semanalmente na cidade.

 

Os crimes aconteciam em plena luz do dia. Os criminosos agiam sem receio da reação policial porque, naquele período, não havia, sequer, viatura para realização de diligências. Conforme os moradores da cidade, de lá pra cá a única mudança vista no setor foi a entrega da viatura realizada pelo Governo do Estado, em outubro do ano passado.

 

Por falta de delegacia, a população não tem como realizar um simples boletim de ocorrência. Em caso de prisões, os detentos são transferidos para os municípios de Nova Olinda, Altaneira, ou para a Delegacia Regional, localizada em Crato, há cerca de 53 Km de distância. O alojamento dos policiais funciona em uma casa alugada pela Prefeitura.

 

Em nota, a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) informou que um plano de recuperação das unidades prisionais do interior já está em curso, afirmando que diversas cadeias públicas encontram-se em reforma, enquanto outras estão em construção, como as unidades de Quixadá e de Novo Oriente, além da construção da Cadeia Pública de Juazeiro do Norte.

 

Sobre a Cadeia de Santana do Cariri, a Sejus informou que as obras de reforma e ampliação da unidade estavam a cargo da RCL Construções. A construtora, no entanto, abandonou a obra e o trâmite para que a empresa retome os trabalhos ou para que haja uma nova licitação está em andamento no Departamento de Arquitetura de Engenharia (DAE).

 

Diário do Nordeste

Comentários