Prefeito Adailton Macedo vai pedir quebra de sigilos ao GAECO

PUBLICIDADE
16 dez 2016
Adailton Macedo. FOTO: RENATO BRITO/ARQUIVO

Adailton Macedo. FOTO: RENATO BRITO/ARQUIVO

O prefeito de Aurora, Adaílton Mâcedo (PMDB), vai colocar seus sigilos bancário, telefônico e fiscal à disposição do Ministério Público do Ceará (MPCE), segundo revelou ontem, com exclusividade ao Miséria, uma fonte ligada ao gestor deste município. Na próxima semana, o peemedebista deve se deslocar à capital do estado, ocasião em que solicitará audiência com os promotores que investigam possíveis irregularidades na contratação de transporte escolar pela Prefeitura, entre os anos de 2009 a 2012, para pedir que seja solicitada à Justiça a quebra dos seus próprios sigilos e de familiares mais próximos.

 

Na última quarta-feira (14), policiais civis realizaram o cumprimento de mandados de busca e apreensão na Prefeitura de Aurora. A medida foi determinada pelo juiz João Pimentel Brito, a pedido dos promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), que apontam a possibilidade de favorecimento à uma das empresas participantes do processo licitatório que resultou na contratação do transporte escolar para o município. Os promotores argumentaram a realização de pagamento na ordem de R$ 13 milhões para a empresa investigada.

 

Conforme a fonte ouvida pela reportagem, que pediu para não ser identificada, tão logo informado sobre a existência do mandado de busca e apreensão, Adaílton Mâcedo teria telefonado para assessores e determinado auxílio total aos investigadores. “Ele mandou que fossem entregues todos e quaisquer documentos solicitados pela determinação judicial. Na verdade, ele está tranquilo em relação a estas investigações. Não há desvio por parte da Prefeitura. Se alguém se beneficiou ilicitamente o fez sem consentimento e, segundo o próprio Adaílton, vai ter que prestar contas à Justiça”, disse.

 

Ontem, havia um misto de sentimentos junto a população que compareceu a solenidade de diplomação dos eleitos no último dia 2 de outubro, Embora houvesse comemoração em torno da diplomação do prefeito eleito Júnior Mâcedo (PR), o sentimento de revolta e de indignação também eram divididos por amigos e correligionários do grupo político liderado por Adaílton Mâcedo.

 

“Ele é uma pessoa muito querida em todo o município. Tem muita gente revoltada com algumas matérias que foram veiculadas em alguns veículos de Imprensa da região, inclusive com a foto do prefeito Adaílton, dando a entender que ele havia desviado recursos ou participado de algum esquema fraudulento. Muita gente se doeu e saiu em defesa dele”, revelou a fonte.

 

A reportagem tentou conversar com o prefeito Adailton Mâcedo. Afirmando não querer prejudicar as investigações, ele, no entanto, preferiu não gravar entrevista. Disse, apenas, que contribuirá amplamente com o Ministério Público no desenrolar das investigações e que, caso haja comprovação de alguma ilicitude, deseja que os culpados sejam presos pela Justiça. Também confirmou que irá solicitar a quebra dos seus sigilos, bem como de familiares, aos promotores de Justiça que investigam o caso.

 

Fonte: Agência Miséria

Comentários