Prefeituras do Cariri agonizam com agravamento da seca e falta de recursos

PUBLICIDADE
7 nov 2017

Reportagem publicada na edição desta semana do Jornal do Cariri revela a situação precária de prefeituras da região, agravada pela seca e a falta de recursos. De acordo com um relatório divulgado pela Defesa Civil do Ceará, até o último dia 30 de outubro, 15 prefeituras caririenses estavam com decreto de emergência reconhecido ou em análise pelo Ministério da Integração.

 

 

Segundo os gestores, os municípios enfrentam dificuldades para manter o abastecimento de água para população, por conta da estiagem prolongada e pela insuficiência financeira.

 

Antonina do Norte, Araripe, Barro, Brejo Santo, Campos Sales, Caririaçu, Jati, Missão Velha, Nova Olinda, Potengi, Penaforte, Tarrafas, Umari, Várzea Alegre e Salitre constam na relação da Defesa Civil do Ceará. Os municípios alegam dificuldades devido a quedas nos reservatórios de água e problemas financeiros.

 

Em Missão Velha, os efeitos da seca foram sentido especialmente sobre a quantidade insuficiente de chuvas no território, que não supriu os mananciais, não recarregou o lençol freático local e comprometeu as tradicionais lavouras de bananas. A validade do reconhecimento do decreto se encerra em dezembro.

 

“A seca é uma realidade desde 2012. Os meses registraram chuvas com pouco volume e o período da seca parece que não vai passar no próximo ano.

 

Então, resta-nos, aos municípios, recorrermos aos decretos de emergência e programas de enfrentamento à seca”, explicou servidores da Secretaria de Agricultura Municipal.

 

Em Várzea Alegre, autoridades políticas e população debateram o assunto diante da crise hídrica no Município. Além da racionalização, o prefeito Zé Helder disse contar com a Operação Carro-Pipa e a perfuração de postos. De acordo com os prognósticos da Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), o aporte dos reservatórios deve melhorar com as precipitações previstas em dezembro.

 

Ceará News 7

Comentários