Escolas municipais de Potengi suspendem aulas devido à suspeita de epidemia

Escolas municipais de Potengi suspendem aulas devido à suspeita de epidemia

PUBLICIDADE
29 fev 2016

potengiPotengi, no Cariri-Oeste, enfrenta atualmente uma suspeita epidemia de dengue e zika. Os 12 mil habitantes do município cearense estão apavorados. Diariamente, umas 300 pessoas procuram as unidades de saúde apresentando sinais e sintomas das doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti. A Prefeitura suspendeu, na última sexta-feira, 26, as aulas nas escolas do Município por conta da epidemia.

 

O surto começou há cerca de quinze dias, conforme denuncia o radialista Josivan Rodrigues. Ele diz ainda que o número de agentes de endemias é insuficiente para garantir maior controle da situação, e que há muito lixo espalhado na cidade, especialmente em terrenos baldios e isso pode estar contribuindo para o alastramento dos casos.

 

O médico Luis Geraldo de Oliveira Neto declarou que, há cerca de vinte dias, uma média de 20 pessoas procuravam diariamente a unidade de saúde sentindo algum sintoma de dengue ou zika. Hoje, a média é de 300 atendimentos. “É uma situação de calamidade. Os profissionais de saúde também estão adoecendo. Estamos com dificuldade de manter a escala porque a cada dia mais médicos, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem contraem alguma das doenças. A maioria dos casos é dengue. Estamos precisando da ajuda do Governo do Estado para controlar a situação”, disse ele.

 

O prefeito da cidade, Samuel Carlos Tenório de Alencar, também apresenta sintomas de dengue, e estava inclusive acamado em sua residência. Ele informa que os profissionais de saúde e de outras secretarias estão mobilizados, e surgiram muitos voluntários para orientar as pessoas e identificar criadouros do mosquito. Mas ele declara: “As pessoas jogam a responsabilidade apenas na prefeitura, mas todos têm que ter consciência que é uma luta que tem que envolver a todos, e que o mais importante em tudo isso, é cada morador cuidar da própria casa. 90% dos focos do mosquito foram encontrados nas residências, então não se pode dizer que tudo provém dos espaços públicos. Entretanto, a situação é muito grave. É preciso que os Governos Estadual e Federal se juntem a nós, montem uma força tarefa. Precisamos da presença do Exército, de mais voluntários e serviço de apoio, inclusive, pra diagnosticar e comprovar os casos”, pontuou o gestor.

 

Ele relata que a situação está complicada até para o funcionamento dos órgãos públicos, as unidades escolares do município, e do estado tiveram que parar as suas aulas, em função dos estudantes, diretores e servidores terem contraído a dengue, além de outros órgãos públicos e privados. “Estamos pedindo socorro!”, completou.

 

A professora Ana Lúcia Santos, diz que todas as escolas paralisarão as atividades nesta segunda-feira, 29, porque é grande o número de alunos, professores, diretores e outros servidores doentes. “Está impossível trabalhar. Pra todo lado que a gente se vira tem um aluno pedindo pra ser liberado porque está se sentindo mal. Na minha escola, as salas de aula já estão praticamente vazias, 5 professores estão sem ir trabalhar há uma semana, e até a diretora está doente.”

 

Luciano Lima é estudante, e fala da importância da colaboração de todos: “Sabemos que numa rua inteira, se em apenas uma casa não forem tomados os cuidados para eliminação dos criadouros do mosquito, toda a população em volta está em risco. É preciso que seja montada uma força-tarefa sim, mas o papel mais importante é o de todos nós moradores. Não adiantará nada se cada um não assumir a sua responsabilidade. Não acredito que seja somente falta de informação, porque o assunto está mais do que debatido nas mídias. Falta mesmo é consciência e vontade”.

 

Reposta
A chefe de gabinete da Prefeitura de Potengi, Elizangela Cachiado Dantas, informou que as aulas de todas as escolas municipais, com exceção de uma, estão suspensas até o dia 7 de maio. Os funcionários e alunos apresentam sintomas de febre chikungunya e zika, mas as doenças ainda não foram confirmadas por exames laboratoriais.

 

“É porque 60% do quadro dos funcionários das escolas está acometido com uma virose, mas não temos confirmação se é febre, zika ou dengue. São idosos e crianças, por isso foi preciso suspender. As aulas serão repostas depois do dia 7”, explicou Elizagela.

 

Segundo a chefe de gabinete, apenas a escola Maria Virgem, localizada na zona do rural do município, está funcionando. Ela não confirmou o número total de escolas fechadas, mas destacou que as três principais unidades da cidade estão fechadas. São elas: Escola de Ensino Fundamental Antônio de Figueiredo Taveira, Escola Luiza Mendes Rodrigues e Escola Josá Edvaldo de Sousa.

 

Além disso, Elizagela informou que a Secretaria Municipal de Saúde está intensificando as ações de controle do Aedes aegypti. “Temos dez novos agentes temporários de endemias contratados, que iniciam o trabalho hoje. O carro Fumacê também está sendo utilizado, as equipes estão selando caixas d’água. A população baixou a guarda, infelizmente. A cada 100 casas visitadas, 90 tem foco do mosquito”, completou.

 

Fonte: O Povo

Comentários