Reeleito, Roberto Claudio promete mudanças no 2º mandato na capital cearense

PUBLICIDADE
31 out 2016
O prefeito Roberto Cláudio, que foi reeleito com 53,57% dos votos válidos, disse que irá corrigir determinadas ações em novo governo. FOTO: MATHEUS DANTAS/O POVO

O prefeito Roberto Cláudio, que foi reeleito com 53,57% dos votos válidos, disse que irá corrigir determinadas ações em novo governo. FOTO: MATHEUS DANTAS/O POVO

“Eu não sou super-herói, graças a Deus”, comemorou ontem o prefeito Roberto Cláudio (PDT), reeleito para governar Fortaleza até 2020 com 53,57% dos votos. Fazendo mea culpa e destacando ter “virtudes e defeitos”, o gestor sinalizou mudanças e prometeu novo empenho na saúde, geração de empregos e segurança – áreas mais criticadas na campanha.

 

“Vamos principalmente reformar e melhorar algumas coisas. Quero assumir compromisso principalmente com a saúde, área que mais trabalhei, mas ainda é a que precisa de mais atenção”. Como ação mais urgente, o prefeito elencou a reforma da distribuição de remédios do Município.

 

Para a segurança, ele destacou construção de cabines com guardas municipais em espaços públicos. “Não para substituir a polícia, mas integradas a ela. Cada equipe terá contato direto com uma equipe do Raio, em parceria com o governo do Estado”. Já na saúde, RC prometeu novas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Policlínicas.

 

Uma das maiores polêmicas da campanha, a gestão da saúde por meio do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) será mantida. “Não vou mudar, porque é uma política exitosa e trouxe muitos benefícios”. Apesar de citada como prioridade, a geração de empregos não ganhou detalhamento de novas ações.

 

Mais cedo, um dos maiores aliados de RC, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), já havia destacado necessidade de foco em áreas críticas da gestão. “Essa campanha serviu também para aclarar algumas imperfeições (…) ficou muito claro, também, que algumas questões têm de ser corrigidas, aprimoradas, especialmente em direção a emprego e renda”, diz.

 

Ciro 2018 e Michel Temer

 

Vitória de RC mantém tradição fortalezense em reeleger prefeitos. Por volta das 20h, o pedetista chegou ao seu comitê, no Cocó, acompanhado do vice Moroni (DEM) e aliados. Destacando “gratidão” à população, a festa acabou virando também palanque para candidatura de Ciro Gomes à Presidência em 2018.

 

“Nós queremos que ele conserte, arrume as coisas no Brasil”, disse RC, acompanhado por coro de “Ciro presidente”. Em entrevista ao O POVO, o próprio Ciro disse que reeleição do prefeito reforça muito, “em seu coração”, o projeto. Se dizendo “caluniado”, RC criticou ainda campanha adversária. “Mas a verdade jamais será triturada pela milícia da mentira e da truculência”.

 

 

Questionado se sua relação de oposição a Michel Temer (PMDB) dificultaria a obtenção de recursos, o prefeito destacou alternativas, como bancos internacionais ou o Estado. “Com argumentos, projetos de excelência e articulação, nós vamos ter o recurso”.

 

BASTIDORES

 

Nos ombros

 

Repetindo gesto de 2012, o prefeito foi carregado nos ombros por um aliado após seu discurso de vitória. Desta vez, no entanto, não foi o secretário Ferruccio Feitosa quem carregou Roberto Cláudio, mas sim um segurança da campanha do PDT.

 

“Sem arma na mão”

 

Discurso da vitória de RC foi acompanhado por diversos gritos de “chupa, Capitão” por militantes do prefeito. A frase “votei de coração, sem arma na mão” também foi muito repetida. Presença do ex-delegado e armamentista Moroni não incomodou a militância.

 

Confusão e furtos

 

Como já tem se tornado tradição em eventos políticos no Estado, festa da vitória de RC contou com diversos criminosos se aproveitando do tumulto para subtrair celulares e carteiras. Foram vários os relatos de furtos em meio ao empurra-empurra gerado pela chegada do prefeito

 

FONTE: O Povo Online

Comentários