Reunião define operacionalização do Açude Cachoeira com vazão de 50 l/s. Volume deixa população insatisfeita

Reunião define operacionalização do Açude Cachoeira com vazão de 50 l/s. Volume deixa população insatisfeita

PUBLICIDADE
27 jul 2017

A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Ceará (Cogerh) realizou neta quarta-feira (26) mais uma Reunião de Alocação Negociada de Água do Açude Cachoeira para discutir a operação do reservatório neste segundo semestre do ano.

 

Antes de apresentar os três cenários com vazões diferentes para aprovação em plenária, um detalhado levantamento técnico do reservatório foi apresentado. FOTO: RENATO BRITO / AQUICONECTADOS

 

A reunião comandada pela Analista do Núcleo de Gestão da Cogerh – Rossana Câmara e pelo Coordenador do Núcleo Técnico – Tiago, rendeu fortes discussões e tentativas para que o volume a ser liberado na válvula do reservatório contemplasse toda a população ribeirinha do Riacho Caiçara.

 

A reunião contou a presença do Secretário de Agricultura, Recursos Hídricos e Meio Ambiente – José Dácio, que esteve representando a gestão municipal, representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Aurora, do Comitê Gestor do reservatório – como Fábio Paiva e Flaudir, Ematerce, Cagece, Câmara Municipal, através dos vereadores Brasa e João Filho, dentre outros.

 

Usuários participaram em grande número. FOTO: RENATO BRITO / AQUICONECTADOS

 

Antes de apresentar os três cenários com vazões diferentes para aprovação em plenária, um detalhado levantamento técnico do reservatório foi apresentado.

 

Segundo os técnicos da Cogerh, além do Açude Cachoeira, apenas o Rosário, localizado em Lavras da Mangabeira recebeu um considerável aporte hídrico na última quadra invernosa, entre todos os reservatórios compreendidos pela Bacia do Salgado. Ao todo são quinze açudes.

 

A reunião comandada pela Analista do Núcleo de Gestão da Cogerh – Rossana Câmara e pelo Coordenador do Núcleo Técnico – Tiago, rendeu fortes discussões e tentativas para que o volume a ser liberado na válvula do reservatório contemplasse toda a população ribeirinha do Riacho Caiçara. FOTO: RENATO BRITO / AQUICONECTADOS

 

O secretário José Dácio alertou para a necessidade de a população continuar economizando o liquido precioso. Para ele, as opções postas pela Cogerh em torno da vazão máxima de 50 l/s se dá em virtude do histórico hídrico do reservatório.

 

O secretário José Dácio alertou para a necessidade de a população continuar economizando o liquido precioso. Para ele, as opções postas pela Cogerh em torno da vazão máxima de 50 l/s se dá em virtude do histórico hídrico do reservatório. FOTO: RENATO BRITO / AQUICONECTADOS

 

Atualmente o volume hídrico do Açude Cachoeira é de pouco mais de seis milhões de metros cúbicos de água (6.000.000 m³). Se considerarmos do início do período da quadra invernosa ao seu término, o Açude Cachoeira recebeu um aporte de 12% em seu volume, ou simplesmente, pouco mais de quatro milhões de metros cúbicos de água (4.000.000 m³).

 

 

Vazão aprovada

 

Entre os cenários de liberação de 40 l/s, 45 l/s e 50 l/s, terminou sendo aprovada pela maioria; a vazão de 50 l/s. Deste total, 35 litros serão destinados para atender a demanda de abastecimento humano, e apenas 15 l/s devem correr no leito do Riacho Caiçara, volume este, insuficiente para alcançar o sítio Caiçara, situado nas proximidades do Rio Salgado. Os moradores destas localidades que dependem diretamente da água do Riacho Caiçara sairam insatisfeitos da reunião.

 

 

Pelos cálculos apresentados pela Cogerh, com base na vazão aprovada pelos usuários, que foi da liberação de 50 l/s (50 litros por segundo), o reservatório deverá fechar o ano com um volume de cerca de 10,5% de sua capacidade total.

Comentários