Reunião entre Cogerh e comunidade, define novas vazões do Açude Cachoeira e expõe cenário crítico do reservatório

PUBLICIDADE
9 fev 2017

A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh – Bacia do Salgado) realizou nesta quarta-feira (08) na Capela da Agrovila, a reunião de avaliação do sistema hídrico do Açude Cachoeira, que contou com as presenças do Gerente Regional da Cogerh, Alberto Medeiros, técnicos do órgão, representantes de entidades sindicais, da Cagece, do Secretário de Agricultura José Dácio e populares.

 

Em todas as exposições feitas pela Cogerh, trabalhou-se a possibilidade mais grave possível, que é a de não haver recarga hídrica do reservatório ao longo quadra invernosa. FOTO: RENATO BRITO / AQUICONECTADOS

 

De início foi feita uma avaliação detalhada de como se comportou o Açude Cachoeira ao longo de 2016.

 

A Analista do Núcleo de Gestão da Cogerh, Rossana Câmara falou acerca do gerenciamento dos recursos hídricos e sua importância. Segundo ela, é importante preservar a água do reservatório em quantidade e qualidade.

 

O secretário de Agricultura, José Dácio fez uma intervenção no sentido de se reestruturar a Comissão Gestora do Açude, visando uma melhor atuação da equipe.

 

Caso não haja aporte hídrico durante a quadra invernosa se operasse com 36 l/s, o reservatório perderia um metro e cinco centímetros, alcançando apenas 5,8% em 30 de junho. Portanto, operando com 41 l/s como foi aprovado, se por ventura não houver recarga hídrica este cenário se configurará mais cedo.

 

Para a Cogerh a prioridade é o abastecimento humano da sede por concentrar o maior número de pessoas. FOTO: RENATO BRITO / AQUICONECTADOS

 

Em todas as exposições feitas pela Cogerh, trabalhou-se a possibilidade mais grave possível, que é a de não haver recarga hídrica do reservatório ao longo quadra invernosa.

 

Ao final da reunião, ficou acordado entre Cogerh e população presente que a partir de agora será liberada 26 l/s para abastecer a sede do município, através da adutora que já está em funcionamento e 15 l/s na válvula para abastecimento humano, através do Riacho Caiçara.

 

Para a Cogerh a prioridade é o abastecimento humano da sede por concentrar o maior número de pessoas.

Comentários