Seminário discute implantação de zona franca em Juazeiro do Norte

PUBLICIDADE
8 jul 2014
Foto: Elizângela Santos

Foto: Elizângela Santos

O Cariri poderá ser um dos grandes beneficiários com a instalação da Zona Franca do Semiárido Nordestino, que está em discussão por parlamentares no Congresso Nacional e recebendo apoio de parlamentares da região Nordeste. A criação da Zona Franca depende da conquista dos votos de 308, dos 513 parlamentares do Congresso Nacional para a aprovação do Proposta de Emenda Constitucional (PEC).

Ontem, foi realizado, em Juazeiro do Norte, seminário para debater o assunto com parlamentares do Cariri e do Estado, com a presença do relator da proposta, deputado federal Gonzaga Patriota (PSB – PE), e empresários do Ceará e, principalmente do polo calçadista da região.

 

O deputado federal cearense, Raimundo Gomes de Matos (PSDB), propôs ao projeto a ampliação do raio de ação da zona franca, com a inserção do Cariri, em virtude do desenvolvimento industrial da região e pelo atual destaque do setor, principalmente, de calçados e vestuários na região. Outro aspecto seria a possibilidade de mudança da sede da zona franca para Juazeiro do Norte, mas a ideia possivelmente não será aprovada, por já ter como sede a cidade de Cajazeiras, no Estado da Paraíba.

 

Com a inclusão do Cariri, segundo Patriota, o raio de atuação da zona franca seria de 150 quilômetros, com benefício de mais de 120 cidades e 20 milhões de habitantes, conforme disse o deputado.

Destaque

Um dos grandes destaques dos parlamentares, incluindo os parlamentares do Cariri, foi a importância do projeto para o desenvolvimento do Cariri, com a ampliação de investimentos, atraindo empresários de outras áreas do Brasil, para a região. Além disso, seria fortalecida a base de investimentos da iniciativa privada. As empresas seriam beneficiadas com isenção de impostos de até 30 anos.

 

Um dos incentivadores para a discussão do projeto de inserção do Cariri, em Juazeiro do Norte, foi a secretaria de Desenvolvimento Econômico do Município. O debate aconteceu no auditório da Secretaria da Fazenda (Sefaz), na cidade. De acordo com o secretário, Antônio Mendonça, uma das expectativas é que esse projeto seja aprovado e passe a vigorar a partir do segundo semestre de 2015.

 

Com o amplo apoio do congresso para que essa proposta seja aprovada, não será necessária a sanção presidencial. Para o representante do Instituto de Desenvolvimento da Indústria do Ceará (INDI), Carlos Manso, é importante pensar no processo de desenvolvimento da região, mas que realmente os benefícios estejam ao alcance de toda a população, principalmente a menos favorecida, proporcionando o aspecto social. Os seminários para debater de forma mais ampla a proposta, conforme o deputado Patriota, será de essencial importância para fortalecer a pauta no congresso.

Fonte: Diário do Nordeste

Comentários