Sesa emite alerta sobre contaminação por vírus influenza

PUBLICIDADE
7 fev 2017

Entre os sintomas da Síndrome estão tosse, coriza e obstrução nasal. (FOTO: Reprodução)

A Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) está investigando dois supostos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A doença atingiu 130 pessoas em 2016 e deixou 17 mortos no estado.

 

Em nota divulgada nesta segunda-feira (6), a Secretaria alerta os profissionais de saúde para a Síndrome Gripal em pacientes com fatores de risco como febre acompanhada de tosse, inclusive coriza e obstrução nasal no caso de crianças com menos de 2 anos.

 

 

Entre as causas da doença está a contaminação pelo vírus Influenza. Eles são transmitidos facilmente por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem 3 tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, já os tipos A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável por epidemias em uma região muito grande.

 

Em 2016, foram notificados 534 casos suspeitos da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Ceará. Destes, 97 foram por Influenza e 33 por outros vírus respiratórios acarretando na morte e 17 pessoas.

 

SRAG no Brasil

 

De acordo com dados preliminares do Ministério da Saúde, 263 pessoas já foram diagnosticadas com SRAG e 17 morreram neste ano, sendo a maior parte em São Paulo tanto o número de casos com de óbitos, 72 e 7, respectivamente.

 

Prevenção

 

Como medidas preventivas, a Sesa indica que sempre ao tossir ou espirrar, que a pessoa tampe o nariz e a boca com um lenço ou papel. Além disso, é recomendado um reforço na higiene.

 

Fonte: Diário do Nordeste

Comentários