Tasso Jereissati oficializa sua candidatura à presidência nacional do PSDB

Tasso Jereissati oficializa sua candidatura à presidência nacional do PSDB

PUBLICIDADE
9 nov 2017

Estiveram no ato 14 dos 47 deputados e seis dos 12 senadores, além de Tasso. FOTO: AGÊNCIA ESTADO

No lançamento de sua candidatura à presidência do PSDB ontem no Senado, o senador Tasso Jereissati (CE) fez um discurso forte, para fora do partido e com o mote de reconectar com os “ruídos das ruas”.

 

Tasso anunciou que irá apresentar na convenção nacional do dia 9 de dezembro o esboço de um programa que será a base do presidenciável do partido na eleição de 2018, elaborado por um conjunto de economistas, entre eles Edmar Bacha, Pérsio Arida e Elena Landau.

 

Na sua plataforma, anunciou também a reformulação do código de ética para instituir o sistema de “compliance” partidário para entregar a uma empresa externa a fiscalização da legenda em termos de uso de recursos públicos e do cumprimento de programa e regras eleitorais.

 

Estiveram no ato 14 dos 47 deputados e seis dos 12 senadores, além de Tasso.

 

O líder, Paulo Bauer (SC) chegou no meio do ato. Entusiasmado com o discurso e com o lançamento, o vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima (PB) lançou o grito que pode incendiar agora o entorno do governador Geraldo Alckmin. “Tasso para presidente! Hoje foi o primeiro passo. Pode melindrar Alckmin? A hora é de ter coragem de mudar”, disse Cássio.

 

Antes do ato de lançamento, Tasso rejeitou a tese de revezar a presidência do partido com o outro candidato tucano, o governador de Goiás, Marconi Perillo, mas admitiu discutir com ele a possibilidade de encurtar o mandato de dois anos.

 

“Estou colocando meu nome não é para rachar, é para unir. Mas não adianta unir aqui e ficar distante do povo. Temos que ficar conectados com a população, que é tudo que um partido político precisa”, disse Tasso no discurso de lançamento.

 

Diário do Nordeste

Comentários