Umidade relativa do ar cai e deixa o Cariri em alerta

PUBLICIDADE
22 dez 2015

A baixa umidade registrada no início do mês na região do Cariri despertou um alerta em toda população. No decorrer da última semana, o nível apresentou Estado de Atenção, que ocorre quando a umidade fica abaixo dos 30%. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a umidade do ar ideal é acima dos 60%. Quando ela está entre 40% e 31% há Estado de Observação e, entre 20% e 12%, Estado de Alerta. Abaixo disso, é considerado Estado de Emergência.

 

Funceme diz que umidade deve aumentar nos próximos dias com a previsão de chuvas para região (Foto: Serena Morais/Jornal do Cariri)

Funceme diz que umidade deve aumentar nos próximos dias com a previsão de chuvas para região (Foto: Serena Morais/Jornal do Cariri)

Foi o que aconteceu no último dia 8. A Plataforma de Coleta de Dados, situada em Barbalha, registrou o mais baixo índice do mês: 8%. Apesar do número preocupante, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) afirma que, no decorrer dos próximos dias, a tendência é melhorar gradativamente. O motivo é a previsão de chuvas, que auxiliam tanto no aumento da umidade do ar como na diminuição da temperatura.

 

De acordo com o meteorologista Leandro Valente, os baixos índices de umidade relativa do ar foram ocasionados pelas temperaturas acima da média histórica desse período, observadas em praticamente todo o Nordeste. Apesar de ser frequente os municípios do interior registrarem baixa umidade durante o segundo semestre, os níveis foram mais críticos graças às temperaturas mais elevadas de 2015. O ano é considerado pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) como o mais quente da história.

 

Entre os efeitos mais comuns que podem ser causados pelo ar seco estão o ressecamento de mucosas do nariz e garganta, aumento no risco de infecções respiratórias, piora de doenças respiratórias como bronquite, asma, enfisema e rinite, entre outros. Já entre alguns cuidados que podem ser tomados nesta época, estão as indicações de beber muita água, manter os ambientes arejados e umidificados com aparelhos apropriados ou, até mesmo, com toalhas molhadas e bacias com água espalhadas pela casa.

 

Jornal do Cariri

Comentários